logo-cecs
CASE CECS
23 de julho de 2014

CASE SDS

logo-gsc

CONTEXTO

O conhecimento do território é fundamental para sua administração e planejamento de políticas públicas orientadas ao desenvolvimento em diversos setores.
O Governo de Santa Catarina, através da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Sustentável – SDS, investiu grandes esforços no mapeamento do Estado. Após mais de 30 anos desde o último registro, era imprescindível um novo estudo detalhado da região, utilizando tecnologia de última geração para garantir a produção de uma base cartográfica de alta precisão.
Em nível amplo, o projeto pioneiro representa um grande avanço para qualificar e consolidar o processo de descentralização. Vem atender à necessidade urgente de planejamento rigoroso das atividades públicas e privadas no Estado de Santa Catarina, tornando-se modelo para todo o Brasil.

O PROJETO

O mapeamento teve plano de voo setorizado, segundo sequência de prioridade estabelecida pela SDS em regiões estratégicas para o Estado, como, por exemplo, as atingidas pelos desastres e deslizamentos no Vale do Itajaí e Litoral.

Com tecnologia de última geração, a Engemap utilizou o SAAPI, sistema próprio de aerolevantamento digital, primeiro desenvolvido e homologado no Brasil, para mapear os 97.037 km² de todo o Estado de Santa Catarina.

O projeto foi concluído em 36 meses, gerando uma base cartográfica de altíssima precisão e produtos derivados com diferentes aplicações:

– Aquisição de fotografias aéreas e geração de ortofotos com resolução espacial de 39 cm

– Modelo Digital de Elevação (MDE) e de Terreno (MDT) compatíveis com a escala 1:10.000

– Densificação da rede estadual GPS

– Implantação de marcos geodésicos a serem homologados pelo IBGE

– Restituição estereofotogramétrica do sistema Hidrográfico

– Reambulação da hidrografia e das localidades

– Construção da Base Hidrográfica Ottocodificada

Principais Aplicações do Mapeamento

– Qualificação dos planos de bacias hidrográficas

– Planejamento costeiro

– Avaliação ambiental integrada

– Zoneamento ecológico econômico

– Efeitos de mudanças climáticas

– Estudos de potencial hidroelétrico

– Auxílio à definição de áreas de risco para realocação de moradias e planejamento urbano

– Qualificação das medidas efetivas de proteção às comunidades e ao meio ambiente

– Planos diretores municipais

– Planejamento de ocupação de áreas urbanas/rurais

– Proteção contra poluição em estuários e costa

– Delimitação áreas possivelmente atingíveis por enchentes (zonas de riscos municipais)

– Planejamento e construção de estradas

Benefícios Gerais do Projeto

Com o acervo gerado pelo mapeamento, o Estado de Santa Catarina dispõe de todos os elementos geográficos para as mais diversas aplicações, necessárias às suas diferentes Secretarias de Estado, tais como Desenvolvimento Econômico Sustentável, Planejamento, Infraestrutura e Agricultura dentre outras. Este acervo é de fundamental importância para a destinação de investimentos em projetos públicos e privados de interesse estratégico para a sociedade catarinense, contribuindo para a otimização de gastos e maior definição das políticas públicas, favorecendo uma administração mais eficiente.

 

Outro ponto importante ocasionado pelo mapeamento é que Santa Catarina tornou-se o primeiro Estado brasileiro a ter restituição do sistema hidrográfico em alta precisão. Dentre outros benefícios, estes dados favorecem a orientação de políticas públicas regionais que agora têm um componente de qualificação inédito, proporcionado pelo conhecimento das especificidades e potencialidades de cada bacia hidrográfica e região do Estado.

 

Santa Catarina conta com um mapeamento de última geração, tendo a restituição, que oferece visualização tridimensional, e a ottocodificação, metodologia em que cada trecho da rede hidrográfica recebe um endereçamento, sendo o mesmo modelo utilizado pelo Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos (Sigreh) e Agência Nacional de Águas (ANA).

 

Para o engenheiro cartográfico da SDS, Thobias Furlanetti, o grande diferencial do mapeamento realizado pela Engemap está na escala de 1:10.000, na precisão e no nível de detalhamento, onde se mapearam até canais e valas de drenagem, sendo possível identificar qualquer objeto no solo maior que um metro.

 

Com esse levantamento e a formação da nova referência de base de dados cartográficos, o Estado concretiza o sonho de conhecimento adequado das especificidades de cada metro quadrado do seu território, subsidiando com extrema qualidade o planejamento das atividades econômicas, sociais e ambientais nas áreas rurais, urbanas e costeiras do Estado de Santa Catarina.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *